Viagem Ushuaia (Argentina) – Os restaurantes

Boa noite pessoal,

Depois de mais de três semanas de ociosidade por aqui, voltamos com um post especial sobre os restaurantes frequentados pelos nossos colegas em Ushuaia. Falaremos um pouco mais detalhadamente de quatro restaurantes em especial: La Estancia, Tante Nina, Azul e Barcleit 1912.

Primeiramente, é importante citar que apesar de ter pouco mais de 50 mil habitantes, Ushuaia disponibiliza uma ótima variedade de restaurantes, deste os mais simples até os mais chiques. A grande maioria fica no centro da cidade, que é formado basicamente por duas ruas principais, apelidadas de “rua de cima” e “rua de baixo”. Além dos restaurantes, é grande também a concentração de lojas também nestas ruas. É dali também que saem os passeios de barco, visto a proximidade das mesmas com o porto da cidade.

Outro ponto interessante é que como lá o dia amanhece mais tarde, os lugares costumam abrir mais tarde, bem como servir as refeições: um almoço, por exemplo, não sai antes das 14h. Bom, vamos ao que interessa:

Restaurante La Estancia. Prato do dia: cordeiro

Indicado pelo dono do hotel após questionarem o mesmo um bom lugar para comer cordeiro, prato típico argentino, o Restaurante La Estancia oferece um buffet livre por 160 pesos argentinos/pessoa (cerca de R$60). O buffet é muito bom, com grande variedade de saladas, massas e outras comidas. Após se servir no buffet, você vai até a churrasqueira onde o assador irá lhe servir a carne desejada (há outras opções além do cordeiro).

O assador é um capítulo a parte, pois com um cutelo gigante ele mais parece um bárbaro despedaçando uma carne de caça, pois como a carne é servida com osso e tudo, ele precisa dar pancadas com bastante força para cortar o osso. Após ser cortado (com direito a osso), o cordeiro é servido no seu prato desta maneira, ocupando uma grande parte do mesmo.

Tentando não passar por situações desconfortáveis no restaurante, os quatro estavam comendo o cordeiro com garfo e faca, até que, em dado momento, o garçom passa por eles e lhes indica que tem que é comer a carne com as mãos mesmo, pois assim que fica bom! Logo depois o garçom passou e deixou na mesa uma tigela com água quente e um limão para eles limparem os dedos engordurados.

O cordeiro em si é bom, mas assim como a ovelha daqui, é uma carne forte e gordurosa, mas se for bem assado acaba ficando mais sequinho. Como o buffet era livre, eles fizeram algumas viagens até á churrasqueira.

A refeição, acrescentada de um bom vinho, ficou em 224 pesos/pessoa (R$90). Abaixo fiquem com as fotos dos cordeiros assando:

foto1

foto2

Restaurante Tante Nina. Prato do dia: Centolla

Outro prato típico da região é a Centolla, que nada mais é do que um caranguejo gigante nativo das áreas frias da região. O restaurante escolhido foi o Tante Nina, que fica entre as duas ruas principais e tem uma bela vista para o porto. Este estabelecimento é um dos melhores (e claro, mais caros) restaurantes de Ushuaia, o que foi descoberto assim que abriram o cardápio.

A idéia inicial era pedir um caranguejo inteiro, mas como o restaurante oferecia o mesmo em variadas porções com vários tipos de preparo, eles acabaram optando por este caminho. De entrada alguns pediram lula a milanesa e outros pegaram uma salada de camarão. Como prato principal escolheram a famosa Centolla, e as escolhidas foram a Centolla Fueguina, preparada com um molho semelhante a uma sopa, e a Centolla Casuela (na casca). Para acompanhar, o garçom da casa sugeriu um vinho branco da Patagônia, chamado Rutini, pois segundo ele combinaria com os pratos. Fingindo entender do assunto, eles aceitaram :)

foto3

foto4

foto5

foto6

foto7

Este foi de longe o restaurante mais caro da viagem: a refeição acompanhada pelo vinho saiu por 400 pesos por pessoa (R$160), e para quem não bebeu vinho saiu por 280 pesos (R$112). O restaurante em si é muito agradável e o atendimento muito bom. Apesar de estar meio vazio quando chegaram no local, ele foi enchendo aos poucos.

Restaurante Azul. Prato do dia: Merluza Negra.

O terceiro e último prato típico da região experimentado por eles foi a Merluza Negra, um peixe de águas frias que é pescado na região. Os argentinos se vangloriam que este peixe sempre é muito fresco e bom. O restaurante escolhido foi o Restaurante Azul, localizado na “rua de cima” e bem próximo ao cassino. A idéia inicial era ir ali para comer as massas do local, muito bem indicadas por alguns nativos. Porém como já era tarde, as massas não estavam mais disponíveis, então eles aproveitaram para comer a Merluza.

Para não enjoarem da Quilmes, eles pediram uma marca de cerveja diferente: Isenbeck.

foto9

A merluza em si era feita com alcaparras e legumes, mas apesar da glorificação dos argentinos, o gosto dela (muito bom, por sinal) em si é praticamente idêntico à merluza que comemos aqui, talvez um pouco mais suculenta. A refeição saiu por 242 pesos por pessoa (cerca de R$100).

foto10

foto11

Os “Irmaõs Still” optaram pelo Bife de Chourizo neste dia, uma porção generosa de carne acompanhada de fritas que também estava muito bom. O preço era bem parecido com o da merluza.

foto12

Um fato interessante é que no cardápio havia um prato denominado Centolla com Sala Joinville. Eles até chegaram questionar o garçom se havia alguma relação com a cidade de Joinville, mas ele não soube responder.

foto8

Restaurante Barcleit 1912

Para fecharmos este post, nada melhor do que encerrar com um restaurante “bom e barato”. O Restaurante Barcleit 1912 foi o escolhido para a primeira refeição em Ushuaia, logo no dia em que chegaram na cidade. Após deixarem as bagagens no hotel, eles saíram rumo ao centro em busca de um local para comer. O dono do hotel havia recomendado um outro restaurante, porém como era domingo e nem todos os estabelecimentos abrem, eles acabaram chegando ao Barcleit 1912. O restaurante é bem antigo e tem uma decoração deco, para não dizer velha.

Apesar do restaurante não aceitar cartão, ele aceita todos os tipos de moedas e tem uma taxa de conversão acima da taxa das casas de câmbio, o que é bastante interessante. O restaurante oferece várias opções em seu cardápio, e apesar de ser um pouco mais simples do que os três comentados acima, também tem uma comida muito boa. Alguns optaram por peixe e outros optaram por frango.

Acompanhados das primeiras Quilmes da viagem, a refeição com bebidas saiu por meros 90 pesos por pessoa (cerca de R$36). O atendimento foi bem razoável e como apenas alguns restaurantes abrem no domingo, o local estava praticamente cheio.

Por hoje é só pessoal, voltaremos em breve com o penúltimo post de Ushuaia!

One thought on “Viagem Ushuaia (Argentina) – Os restaurantes

  1. Pingback: Viagem Ushuaia (Argentina) – Os restaurantes | ALFA Dicas de Viagens

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>