Viagem Curação – Hato Caves

Olá pessoal,

Nosso último passeio em Curaçao foi também no último dia nosso na ilha. O principal motivo é que as Hato Caves ficam localizadas bem próximas do aeroporto. O preço da entrada é salgada (US$8), principalmente pelo passeio ser extremamente rápido. Há um pequeno estacionamento no exterior do parque, e há um guardinha que fica cuidando dos carros.

DSC07396

 

DSC07421

DSC07420

DSC07422

 

DSC07400

Como chegamos perto das 12h30 e os passeios guiados às cavernas ocorre de hora em hora, ganhamos duas folhas sulfite com mais de 20 pontos a serem vistos, que nada mais eram do que explicações do que encontraríamos na Indian Trail, uma trilha feita sem guia e que passa por diversas árvores típicas da região, cactus e algumas formações rochosas diferentes.

DSC07403

DSC07404

DSC07405

DSC07407

DSC07412

Depois disto voltamos para o bar ali disponível, onde encontramos um gato extremamente folgado:

DSC07425Também encontramos duas iguanas bastante grandes por lá:

DSC07427

DSC07431

DSC07433

Às 13h em ponto, nosso guia apareceu. Estávamos em mais ou menos umas 12 pessoas, e apesar de ter alguns holandeses no meio, chegamos a um acordo que o guia precisaria somente fazer suas explicações em inglês.

No caminho para a entrada da caverna encontramos um pequeno colibri ainda no ninho:

DSC07435

DSC07436

Após subirmos 49 degraus chegamos na entrada das cavernas (trancada no cadeado). Lá de cima é possível tirar belas fotos do mar de Curaçao:

DSC07439

Dentro das cavernas não é permitido tirar fotos. Somente em dois pontos onde há a entrada da luz natural é que foi liberado o uso das câmeras.

DSC07443

DSC07445

DSC07446

DSC07449

DSC07451

O trajeto dentro das cavernas dura cerca de 30 minutos, e o guia fazia várias piadas durante as explicações, o que fazia com que todos prestassem atenção em suas falas. Basicamente ele comenta a respeito da história das cavernas, quantos milhões de anos demora para se formar as formações ali presentes, etc.

O local é patrimônio da prefeitura há 15 anos, e antes disso diversos vândalos entravam nas cavernas e quebravam as formações, faziam sujeira e tinham outros comportamentos inadequados.

No final ainda há um caixinha para deixar uma gorjeta para o guia. Como ele era muito simpático, deixamos US$1. Na saída das cavernas ele ainda nos explicou que as iguanas adoram escalar e ficar nos últimos galhos da árvore, e numa rápida olhada encontramos no mínimo umas cinco nessa posição:

DSC07454

Enfim, é um passeio caro e rápido, mas como tivemos tempo de fazer, não nos arrependemos. Certamente não é um passeio obrigatório para quem viaja a Curaçao, mas não deixa de ser interessante.

Voltaremos no início dessa semana com o post falando de nosso apartamento e no meio da semana faremos um último post com dicas gerais sobre nossa estadia em Curaçao.

Até lá!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>