Bombinhas (SC)

Olá pessoal,

Dando mais uma breve pausa nos posts da Europa, hoje é dia de falarmos um pouco de Bombinhas, curiosamente o menor munícipio de Santa Catarina em extensão. Localizado a cerca de 72 km da capital Florianópolis e a 128 km de Joinville, Bombinhas se destaca pela ótima quantidade e qualidade de hotéis, restaurantes e praias (são 26 no total). O ponto negativo é que há apenas uma única rodovia que liga o município a BR-101, o que muitas vezes acaba ocasionando em congestionamento gigantescos e muito stress atrás do volante (já tivemos relatos de pessoas que levaram 4 horas no trajeto).

Como já estivemos em três praias (Bombas, a própria Bombinhas e a praia de Sepultura), este post dará mais ênfase a elas, dada as experiências que já tivemos.

A praia de Bombas é logo a primeira praia, e fica após a fronteira com o município de Porto Belo. A extensão da faixa de areia chega perto dos 2 km, e o mar, apesar de não ser tão tranquilo quanto o de Bombinhas, pode ser considerado bom para crianças. A primeira vista que temos da praia é na pequena serrinha na divisa com Porto Belo, e é deslumbrante:

DSC08452

Já ficamos hospedados em dois lugares diferentes por lá, e conforme já comentado, há inúmeras opções, desde hotéis e pousadas mais luxuosos até casas e residencias para alugar. Em uma oportunidade que ficamos lá com os tios da Aline, ficamos nos apartamentos do Residencial Bomar, localizados a apenas uma quadra da praia e com cozinha completa. O valor em 2010 em média temporada era em torno de R$250 a diária para 6/7 pessoas.

Neste final de semana, numa promoção que o irmão mais novo (Rodrigo) da Aline ganhou na sua escola, ficamos no Residencial Nicole, que faz parte da Rede Sul Turismo, que nada mais é do que uma rede onde você compra seu título vitalício e fica hospedado nos lugares conveniados a preços irrisórios (no nosso caso por exemplo pagamos apenas R$11 a diária por pessoa). O residencial também possuía cozinha completa e ficava localizado a cerca de 350 metros da praia.

DSC08147

Perto de lá ainda encontramos duas corujas num terreno baldio, além de um gato e um besouro que saiu bem na foto:

DSC08466

DSC08468

DSC08456

Toda a praia é cortada por uma avenida com um pequeno canteiro de divisão no meio. É lá que ficam os restaurantes, as farmácias, lanchonetes, supermercados, enfim, onde tudo acontece:

DSC08490

Para finalizar fiquem com mais algumas fotos de Bombas:

DSC08471

DSC08474

DSC08477

DSC08479

DSC08721

DSC08730

DSC08731

DSC08732

Para chegar na praia de Bombinhas, basta subir uma pequena serra após o final da praia de Bombas, que você já estará nela. Comparada com Bombas, esta praia é um pouco mais “badalada”, com restaurantes e hotéis mais luxuosos do que os encontrados em Bombas. A água é bastante cristalina e o mar é muito calmo, praticamente inexistem ondas por lá, e a faixa de extensão de areia é de quase 1 km:

DSC08098

DSC08104

DSC08106

DSC08190Nas duas vezes (2012 e 2014) em que ficamos hospedados na praia de Bombinhas, ficamos na badalada Pousada Vila do Farol, localizada na beira da praia e onde atualmente uma diária para o casal com meia pensão (café e janta) na média temporada sai por proibitivos R$610. Como fomos por um evento do Grêmio Totvs/NeoGrid, pagamos praticamente a metade do valor (R$700 para duas diárias neste ano), e ainda ganhamos pensão completa em nossa estadia, além de duas festas a noite, o que aumenta consideravelmente a relação custo/benefício da mesma.

A pousada de fato é completa (piscina, piscina térmica, sala de jogos, sala de cinema, etc, etc, etc), porém em nossa opinião a pousada não vale o que cobra pela diária. Fiquem com algumas fotos dela:

DSC08086

DSC08089

DSC08093

DSC08095

DSC08096

DSC08106

DSC08150

DSC08156

DSC08205

DSC08207Na praia ainda é possível praticar diversas atividades esportivas, dentre elas o Stand Up Paddle (R$30 meia hora e R$50 a hora completa) e andar de caiaque (R$15 por 30 minutos).

DSC08167

DSC08168

DSC08177

DSC08200

Para finalizar o assunto praias, vamos falar da Praia da Sepultura, que fica localizada após a praia de Bombinhas e tem somente 95 metros de extensão e é nacionalmente conhecida por ser uma ótima praia para mergulho, porém fique atento: neste final de semana fomos para lá um dia depois que choveu a noite e a visibilidade era praticamente nula, o que estraga bastante o passeio.

O estacionamento em média temporada saiu por R$10 e permite a entrada/saída durante o dia.

DSC08508

DSC08510

DSC08516

DSC08521

DSC08523

90% dos peixes avistados lá são estes da foto abaixo com listras pretas e amarelas, porém dependendo de sua sorte você poderá ver outras espécies, bem como até tartarugas:

praia-da-lagoinha-trapiche

É possível alugar conjunto de snorkel e pé de pato a um custo exorbitante de R$15 a hora. Uma vez que estivemos na praia no final de 2010, não nos avisaram que o preço era por hora (na época era R$5 a hora), e quando fomos devolver nos queriam cobrar oito horas de uso, o que obviamente não pagamos. Há também dois bares que servem bebidas e lanches em geral.

Assim como em Bombinhas, é possível alugar pranchas de Stand Up e caiaques para passeio (mesmo preço já citado acima):

DSC08545

DSC08549

DSC08550

Neste final de semana ainda fomos premiado com a presença de uma gata com seus filhotes, o que rendeu belas fotos:

DSC08519

DSC08528

DSC08531

DSC08537

DSC08540

DSC08541

DSC08542

Para finalizar o post, vamos falar de um passeio diferente que fizemos por lá no final da tarde do sábado: a trilha do Morro do Macaco, que tem início na praia do Canto Grande, e para chegar lá você deve passar por Bombas, Bombinhas, Quatro Ilhas, Atalaia e Mariscal. São cerca de 9 km de distância de Bombas até lá.

DSC08563

DSC08566

Há uma placa indicando que a trilha tem 900m de extensão e 220m de altitude, porém dá a impressão que a extensão é muito maior. Levamos cerca de 40 minutos para subir toda a trilha, porém ela é muito bem sinalizada e de certa forma estruturada (quase não há trechos de mata fechada). No caminho é possível ir apreciando a bela vista e é claro registrando tudo em fotos:

DSC08581

DSC08586

DSC08587

DSC08589

DSC08593

DSC08597

DSC08613

DSC08619

DSC08623

DSC08629

DSC08634

DSC08639

No final, é possível avistar até a Ilha de Florianópolis (isto em dias claros e com poucas nuvens, que não foi o nosso caso):

DSC08641

DSC08643

DSC08648

DSC08650

DSC08651

DSC08653

A descida, obviamente, é bem mais rápida: leva cerca de 20 a 25 minutos. Devido ao tempo expendido na tarefa, recomenda-se subir a trilha ou no início da manhã ou no final da tarde, quando o sol está mais fraco.

Com o dia chegando ao fim, a praia do Canto Grande rendeu belíssimas fotos:

DSC08655

DSC08658

DSC08662

DSC08667

DSC08677

DSC08678

DSC08681

Enfim, o objetivo deste post foi falar um pouco mais de Bombinhas, cidade que já visitamos em quatro oportunidades e da qual ainda não havíamos comentado por aqui. Esperamos ter ajudado!

Ainda esta semana voltaremos com os posts da Europa! Um abraço e até lá!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>