Viagem Bali (Indonésia) – Ubud

Olá pessoal,

Depois dos três últimos posts que falaram um pouco de passeios que fizemos dando partida em Ubud, falaremos agora de alguns lugares que visitamos e que estão localizados propriamente em Ubud, dentre eles a Monkey Forest, o Mercado de Ubud e o mundialmente famoso Ketut Liyer.

MONKEY FOREST

Localizada no coração de Ubud, a Monkey Forest certamente é o ponto mais procurado pelos turistas que visitam a localidade. A entrada custa 30 mil rúpias por pessoa (cerca de R$6,50), e para se ter uma ideia do movimento hoje em dia, são mais de 15 mil visitantes por mês que passam por lá. Em 1986, eram apenas 800.

Na rua que passa em frente há diversas estátuas com macacos nas mais diferentes e hilárias posições. E os macacos reais, que são mais de 600 lá dentro, já são vistos nas lojas próximas. E eles não vão atrás somente de comida, como vocês podem ver na foto da placa abaixo (“tome conta de suas coisas”):

DSC02527 DSC02530 DSC02531 DSC02534 DSC02536 DSC02554DSC02635DSC03429DSC03431DSC03434

Logo na entrada uma pegadinha (que inclusive caímos): há algumas mulheres vendendo pequenos cachos de banana por 50 mil rúpias (no mercado você pagaria menos da metade desse valor). Assim que você pega o cacho você começa a ser literalmente atacado pelos macacos do parque, que sobem em suas roupas e fazem com que as bananas não durem mais do que cinco minutos. Quando o cacho estava quase acabando um dos funcionários locais nos ensinou uma maneira de tirar uma boa foto com o macaco indo em busca do alimento:

DSC02558 DSC02561 DSC02562 DSC02564 DSC02566

A Floresta não é composta somente dos animais: assim como em qualquer lugar que visitamos na Indonésia, há templos (são três no total), como vocês podem ver no mapa abaixo:

mapa floresta

O que pudemos observar lá dentro também é que a população só tende a aumentar, pois vimos diversos macacos filhotes com seus respectivos pais. Os pequenos eram os mais dóceis, tentando abrir sua mão em busca de comida.

DSC02568 DSC02578 DSC02584 DSC02585 DSC02587 DSC02588 DSC02589 DSC02591 DSC02611 DSC02621

No final de nossa visita certamente a cena mais curiosa: havíamos lido em alguns relatos a importância de tomar conta de sua carteira, telefone, enfim, de seus objetos pessoais, pois os macacos de fato roubam tudo  isso para trocar por comida depois. Estávamos com uma mochila com cadeado no zíper, e um dos macacos simplesmente subiu na mochila já em direção ao zíper tentando abrir a mesma:

DSC02628 DSC02629

UBUD MARKET

Localizado a pouco mais de um quilômetro da Floresta dos Macacos, o Mercado de Ubud é certamente o lugar onde você irá encontrar os melhores preços para comprar alguma lembrança de Bali: são inúmeras lojas, a grande maioria vendendo roupas, cangas e itens decorativos. E tudo “a preço de banana”.

DSC02815 DSC02849

O mais interessante é a forma de negociação entre a vendedora e o turista: munidas de uma calculadora na mão elas vão colocando os preços nela e pedem para você dar o seu preço. A negociação prossegue até chegar a um valor comum, e uma dica preciosa é: sempre ofereça menos da metade do primeiro valor pedido, pois desta forma você conseguirá fechar a compra com um desconto de no mínimo 30%. E melhor do que pagar barato num produto é ainda receber um desconto em cima.

KETUT LIYER

Mundialmente famoso após participar do filme Comer, Rezar e Amar com Julia Roberts, o guru Ketut Liyer é certamente outro “ponto turístico”, se é que podemos chamar assim, bastante visitado na região de Ubud. Localizado a cerca de 1,5 quilômetro da Floresta dos Macacos, basta você ir perguntando nos estabelecimentos comerciais que você chegará a ele. Na rua que você deve entrar você encontrará uma placa igual a esta:

DSC03406

Após a placa você anda mais uns duzentos metros e finalmente chega à casa dele, que ao contrário da grande maioria das casas em Bali, é muito bonita e organizada:

DSC03408 DSC03413

Chegamos lá cedo (às 09h15) e pegamos a senha número 6 (porém havia uma mulher se consultando e apenas outra na sequência). Porém antes de chegar nossa vez um motorista chegou com mais três mulheres e estava com as senhas 1, 2 e 3, cortando a nossa frente. Aproveitamos este tempo para conhecer o hotel que estão fazendo por lá (com direito a spa):

DSC03409 DSC03410 DSC03411

Apesar de existirem vários recados por lá que é proibido tirar fotos, pedimos ao rapaz que nos atendeu e ele nos permitiu. A “sessão de leitura” custa 250 mil rúpias indonesianas (mais de R$50), pode ser acompanhada e não leva mais do que quinze minutos. Assim como várias pessoas na Indonésia, Ketut não sabe qual a sua idade, pois por lá é muito mais importante você saber em que dia da semana nasceu do que o ano propriamente dito.

A consulta é acompanhada de um dos filhos de Ketut, que traduz o que ele fala quando necessário, principalmente pelo fato dele não ter muitos dentes sobreviventes na boca. Apesar da consulta levar uns 10 minutos, boa parte do tempo ele passa repetindo as mesmas frases. Uma das que ele mais repetiu, para nossa sorte, foi que a Aline já havia encontrado o amor da vida dela.

Durante toda a consulta é permitido tirar fotos e no final o filho dele ainda se oferece para tirar uma foto.

DSC03415 DSC03417 DSC03418 DSC03420 DSC03421

OUTROS PONTOS DE UBUD

Ainda em Ubud há também outro lugar bastante conhecido: o Café Lotus, que fica na frente de um lindo templo com um pequeno lago na sua frente. Todas as noites, em frente a este templo, acontece o Kecac Fire Dance em sessões diárias, mas como já havíamos visto este espetáculo de dança lá em Uluwatu optamos apenas para tomar uma cerveja. Vale lembrar que o pacote que é vendido oferece mesas gratuitas no próprio Lotus Cafe, e as mesas mais próximas do local da dança são bastante disputadas (no dia que fomos lá era meio da tarde e praticamente todas as mesas já constavam como reservadas):

DSC02822 DSC02824 DSC02830 DSC02831

Há também dois vilarejos próximos a Ubud que são especialistas em dois produtos: o Mas Village, especialista em objetos de madeira, e o Celuk Village, especialista em joiás, sobretudo de prata. Fechamos com um taxista para nos levar às lojas dos dois locais por cerca de R$50 (ele ficava esperando em cada loja). No entanto tivemos a impressão que ele nos levou apenas nas lojas mais caras (as lojas eram enormes e as funcionárias vinham abrir a porta do táxi), pois os preços estavam todos maiores do que já havíamos visto em lojas lá em Ubud. Tentamos explicar umas duas vezes para que ele nos levasse a lojas mais baratas, porém ele desconversava e sempre parava nas lojas grandes.

Um ótimo local para você também encontrar lembranças e objetos de prata são os mercados existentes por lá: antes de chegar a Floresta dos Macacos há um grande supermercado (Coco Supermarket), onde compramos uma pulseira de prata num ótimo preço, além de pacotes de café (inclusive do Luwak). No caminho entre a Floresta dos Macacos e o Mercado de Ubud há outro mercado, neste aproveitamos para comprar várias lembrancinhas e itens para casa.

E por hoje era só pessoal, no próximo post falaremos mais dos restaurantes que frequentamos em Ubud!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>