Viagem Urubici (SC) – O que fazer e onde comer em 2 dias

Olá pessoal,

No último final de semana do feriadão do Dia do Trabalho estivemos mais uma vez na cidade de Urubici, na Serra Catarinense, só que desta vez estávamos acompanhados de quatro casais de amigos. Tentaremos condensar em um único post tudo o que fizemos por lá, incluindo sobretudo os passeios e restaurantes.

Saímos de Joinville um pouco antes das 06h da manhã, e descemos o litoral pela BR-101. Com um trânsito relativamente tranquilo, entramos na BR-282 (na altura de Palhoça) ainda antes das 08h. Fizemos uma pequena parada para o café da manhã e então prosseguimos viagem, pegando um pouco de trânsito no caminho antes de finalmente pegarmos a SC-416 para chegar ao destino final. No caminho fomos premiados com um céu praticamente sem nuvens e pudemos tirar muitas fotos das estradas percorridas:

DSC04605 DSC04647 DSC04645 DSC04641 DSC04637 DSC04635 DSC04632 DSC04631 DSC04628 DSC04625 DSC04623 DSC04620 DSC04619 DSC04615 DSC04612 DSC04611 DSC04609 DSC04607

Assim que descarregamos as malas na pousada Lenha no Fogo (ainda faremos um post específico sobre ela), fomos até o centro de Urubici pegar a senha para subirmos o Morro da Igreja no dia seguinte. O local onde você retira a senha (que é por veículo) fica na paralela da avenida principal, atrás do Banco do Brasil. Apesar de ter uma pequena fila no local, ela andou rapidamente e logo já tínhamos a fitinha que nos daria acesso ao Morro no dia seguinte. Importante: são apenas 200 senhas por dia, portanto não deixe para a última hora.

DSC04651 DSC04653 DSC04719

Depois de retirarmos a senha fomos almoçar na Churrascaria Tradição, que apesar de simples, correspondeu bem ao custo benefício dos R$34 pelo espeto corrido (há ainda a opção somente do buffet livre por R$18 ou do buffet por quilo por R$32). As bebidas também possuem um preço justo: a cerveja 600ml sai por R$7 (Bohemia por R$8) e a lata de refrigerante por R$4.

DSC04654

Depois do almoço o destino era o Parque do Avencal. Lá você paga R$3 por pessoa para entrar no local, que tem como principal atração a Cascata Avencal, uma queda d’água de mais de 100 metros de altura:

DSC04656 DSC04657 DSC04659 DSC04660 DSC04664 DSC04669

Quando fomos em 2013 o parque ainda estava no início de seu funcionamento, e notamos importantes avanços dois anos depois: a principal nova atração é a tirolesa que sai do canto oposto à cascata e passa sobre ela: o trajeto leva cerca de 30 segundos e o valor cobrado é de R$30 por pessoa. Há ainda outras atividades por lá, como tiro ao alvo, passeio de pedalinho, passeios de cavalo e trilhas com guia. O ponto fraco fica com relação à alimentação, pois ao menos não encontramos nenhum lugar para comer.

DSC04671 DSC04676 DSC04680

Antes de voltarmos para a pousada paramos no Mirante que fica no caminho na volta para o centro de Urubici:

DSC04688 DSC04689 DSC04691 DSC04692 DSC04695

Após descansarmos na pousada durante o final da tarde, saímos para jantar no Restaurante Muller, onde a principal opção do cardápio fica por conta do rodízio de fondue completo (R$60 por pessoa), que inclui uma sequência de fondue de queijo com acompanhamentos como pão, pepino e goiabada, seguido da chapa onde você coloca as carnes (acompanhada de molhos) e finalizada com o fondue de chocolate com frutas.

Uma dica importante é: não deixe para chegar ao restaurante depois das 19h30, pois caso contrário com certeza vai pegar fila de espera. Ah, e assim como vários outros locais de Urubici, o restaurante não estava aceitando cartões como forma de pagamento (segundo o dono estavam sem rede), portanto vá preparado com dinheiro no bolso!

DSC04712 DSC04713

No sábado pela manhã saímos da pousada direto ao Morro da Igreja. Um pouco antes de chegar ao container que controlar os carros que sobem o Morro, há mais um ponto turístico de Urubici: a Cascata Véu de Noiva, que falaremos um pouco mais daqui a pouco. Como já havia uma pequena fila de carros resolvemos já ficar na fila e ir na Cascata na volta. Apesar das 200 senhas diárias distribuídas, são apenas 33 carros que podem subir simultaneamente, por este motivo as filas acabam se formando.

Há também uma opção de um caminhão que sobe apenas com passageiros e não pega a fila de carros (não perguntamos o preço). Depois de esperarmos cerca de 40 minutos finalmente fomos liberados e terminamos a subida:

DSC04724 DSC04725 DSC04727  DSC04734 DSC04737 DSC04742

Chegando ao topo do morro há uma pequena área para fazer a volta e o estacionamento é na própria rodovia (em direção à descida). Assim que saímos do carro sentimos um forte vento na cara, e pelos cálculos que fizemos posteriormente a sensação térmica era de gelados -2ºC (temperatura de 9ºC acompanhada de um vento de cerca de 40km/h). O céu estava com muitas nuvens e ainda por cima nublado, porém num raro momento de sorte, conseguimos pegar o principal “spot” sem nenhuma nuvem na frente: a Pedra Furada.

DSC04748 DSC04749 DSC04750 DSC04753

Ficamos cerca de meia hora lá em cima (o frio não nos deixou ficar mais), e então partimos para a Cascata Véu de Noiva, que conforme falamos anteriormente, fica logo ao lado do controle de entrada do Morro da Igreja. Para entrar na área da cascata é cobrada uma taxa de R$4 por pessoa, que dá direito de olhar a cascata e usar os banheiros do local, que é muito bem estruturado e oferece uma opção de buffet livre de R$25. Há também opções de salgadinhos, presentes, lembrancinhas e é claro, pinhão e vinho (o prato de pinhão quentinho saía por R$5).

DSC04772 DSC04774 DSC04786 DSC04787 DSC04790

Para finalizar o nosso sábado fomos à famosa fenda da Serra do Corvo Branco, serra esta que está interditada em sua descida pois está sendo asfaltada, e para piorar ainda houve uma queda de barreira no mês de abril. A interdição é a partir da fenda, porém o caminho até lá também está em obras e a estrada não está das melhores. Mas vale a pena sofrer um pouco para chegar até lá e tirar fotos como as abaixo:

DSC04800 DSC04808 DSC04812 DSC04813 DSC04819 DSC04824

Para fechar a noite reservamos uma mesa no Taberna, restaurante este que já havíamos ido em nossa viagem de 2013. O restaurante é a la carte e tem poucas opções no cardápio, dentre elas um macarrão acompanhado de carne, um entrevero e a paella da serra, prato este que já havíamos escolhido em 2013 e repetimos a dose dessa vez. O preço é um pouco salgado (a paella para dois saiu por R$84). A long neck de Heineken ou Budweiser saía por R$6,50 e o suco de maçã por R$4,50.

foto1 foto2 foto3

No domingo de manhã, antes de ir embora, demos uma rápida passada na Igreja Matriz de Urubici, imponente construção do centro da cidade:

DSC04861 DSC04863 DSC04864 DSC04866

Com certeza visitar Urubici é um excelente programa, sobretudo para o inverno que está logo chegando. A melhor opção é tentar emendar algum feriadão para aproveitar com calma os pontos turísticos da cidade. Apesar de ainda estar engatinhando com relação a opção de hotéis e restaurantes, a cidade já está bem mais avançada do que estava quando a visitamos em 2013 e só tem a crescer, pois a quantidade de turistas só sobe.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>