Capadócia (Turquia)

Quarta parada de nossa viagem à Europa, a Capadócia tem como principal atrativo o mundialmente famoso passeio de balão e que fez sucesso aqui no Brasil depois de diversas cenas da novela global Salve Jorge terem sido gravadas por lá (para quem não sabe reza a lenda que São Jorge nasceu na região). Inclusive há uma loja de tapetes que tem como principal propaganda ser a fornecedora oficial para cenas da novela.

DSC01970

A Capadócia nada mais é do que uma região da Turquia, formada por algumas cidades: a cidade mais bem localizada da região é a de Göreme, que foi onde ficamos hospedados. Os aeroportos mais próximos estão localizados nas cidades de Kayseri (distante 70 km) e Nevsehir (distante 12 km). Os voos geralmente partem da capital Istambul, e são muito mais frequentes (e portanto mais baratos) para Kayseri. Pagamos apenas US$15 pelo voo, pela low-cost Pegasus Airlines e uma taxa de US$7 extra para poder levar 5kg de bagagens despachadas a mais (no preço inicial estão inclusos 15kg despachados + 5kg da bagagem de mão).

Como os voos de balão iniciam em plena madrugada (a van geralmente pega os hóspedes entre 05h e 06h da manhã), acabamos antecipando nosso voo que seria numa manhã para às 23h40 do dia anterior, para termos ao menos duas chances, visto que dependendo das condições climáticas, o passeio não acontece. Havíamos combinado o transfer do aeroporto para o hotel com o próprio hotel por 20 liras turcas (cerca de R$30), porém nosso azar de Istambul continuava, e ao chegarmos no aeroporto de Kayseri não havia ninguém nos esperando.

Por sorte, havia um senhor com outra van meio vazia, e ele estava angariando as pessoas que ficaram sozinhas por um preço um pouco maior (25 liras turcas, ou R$37,50). Sem muita saída, acabamos fechando com ele, no entanto ele ainda iria esperar o próximo voo de Istambul (mas ele não nos falou disso), ou seja, acabamos saindo do aeroporto praticamente às 03h da manhã com um passeio de balão agendado para dali a duas horas.

Os 70 quilômetros entre o aeroporto e o hotel em Göreme foram rapidamente percorridos e chegamos ao hotel às 03h30. Completamente exaustos, estávamos certos em pedir o adiamento do passeio para o dia seguinte, porém para nossa sorte (na outra manhã o tempo nublou e os balões não saíram do chão) a moça que estava de plantão no hotel não sabia nem falar o be-a-bá do inglês, e portanto não conseguimos nos entender e ela apenas nos deu um papel escrito onde dizia que a van viria nos buscar às 05h30, ou seja, menos de duas horas depois de nossa chegada.

Com um pequeno atraso de trinta minutos, a van da Urgup Baloons apareceu. Assim como os passeios de gôndola em Veneza, o preço para andar de balão na Capadócia é bastante salgado. Os preços iniciais, que são para os passeios standard (60 minutos com no mínimo 16 pessoas por balão), ficam entre 150 e 165 euros, mas podem chegar a astronômicos 1000 euros caso você deseje ter um passeio privado. É interessante também questionar o hotel em que você está hospedado sobre o passeio, pois geralmente eles fazem parcerias com algumas companhias, e você conseguirá um bom desconto. No nosso caso, como reservamos pelo hotel, pagamos 135 euros por pessoa.

Neste valor, além do voo propriamente dito, está incluso o transfer de ida e de volta, além de um café da manhã e uma espécie de cerimônia ao final do passeio onde você receberá um certificado e um copo de champanhe. Falando especificamente sobre o café da manhã, ele é basicamente composto por alguns pães (sem nada para recheá-los) e uns doces bem ralé, acompanhados de café e suco.

DSC01679 DSC01680

O local onde é servido o café da manhã é uma espécie de quartel-general da companhia, e lá você será solicitado a colocar seu nome num notebook da companhia. Acreditamos que seja por causa do certificado entregue no final, pois em nosso voo algumas pessoas não receberam e eles escreveram a mão o nome das mesmas.

Perto das 06h30 (o trajeto entre o hotel e o QG leva menos de 10 minutos), pegamos novamente a van para ir para a “pista” dos balões. Lá leva uma meia hora até o seu balão ficar pronto, enquanto isso você pode ir tirando fotos dos demais que já estão no ar:

DSC01702 DSC01700 DSC01687 DSC01703 DSC01717 DSC01726

Como já falamos anteriormente, no voo standard são 16 pessoas por passeio, sendo 4 em cada parte do cesto. O “motorista” fica entre estas quatro partes, controlando o fogo e consequentemente a altura do balão. O passeio dura cerca de 60 minutos, e realmente é algo indescritível. No seu nível mais alto, o balão chega a 800 metros de altura, e o visual da região no mínimo diferente combinado com as outras dezenas de balão no ar torna o passeio ainda mais prazeroso. Com certeza é um passeio único no mundo todo, sobretudo por conta do relevo do local.

DSC01735 DSC01876 DSC01875 DSC01857 DSC01843 DSC01836 DSC01832 DSC01830 DSC01819 DSC01818 DSC01805 DSC01798 DSC01790 DSC01784 DSC01776 DSC01771 DSC01770 DSC01767 DSC01763 DSC01756 DSC01751 DSC01748 DSC01742 DSC01740 DSC01737

O pouso não é suave, e você precisa ficar numa posição de cócoras e quando o balão chega ao chão ele dá umas três pancadas fortes, por este motivo eles não recomendam que grávidas façam o passeio. Depois de todos com os pés no chão, é hora das entregas dos certificados e dos champanhes (há suco para os que não bebem). Um detalhe importante e que não foi mencionado até aqui é que o pagamento do passeio é feito somente minutos antes do mesmo acontecer, ou seja, caso você reserve e por algum motivo climático o mesmo não saia, você não perderá dinheiro.

DSC01894 DSC01898 DSC01901 DSC01905

Ainda antes das 08h estávamos de volta para o hotel, e como praticamente não havíamos dormido naquela noite, preferimos perder o café da manhã e descansar. Perto das 13h, saímos para almoçar e conhecer um pouco mais a pequena cidade de 6 mil habitantes, onde 90% das construções são hotéis, restaurantes, lojas ou empresas turísticas.

O prato mais famoso da região é o pottery kebab, que nada mais é do que um pequeno pote de cerâmica onde é cozinhado alguma carne misturada com molho e vegetais. O detalhe é que o pote é usado apenas uma vez, pois é quebrado quando chega na mesa antes de ser servido. Recomendamos o One Way Restaurant, que foi o local de nosso almoço. Pedimos de entrada palitinhos de queijo por 8 liras (cerca de R$12), e o kebab saiu por 23 liras (cerca de R$34), tanto o de frango quanto o de carne. A prima da Aline pediu um prato de macarrão que saiu por 20 liras (R$30). A latinha de Coca-Cola custava 5 liras (R$7,50).

DSC01918 DSC01922 DSC01923 DSC01925 DSC01926

Tirando o passeio de balão, as atividades na Capadócia são um pouco escassas, porém a maioria também tem um preço bastante salgado, iniciando em cerca de 40 euros e chegando até 75 euros por pessoa. Na sua maioria são passeios para explorar a região, dando ênfase às formações rochosas: alguns são feitos de van, outros de quadriciclo e alguns até de cavalo. Optamos por não fazer mais nenhum passeio, até para não pesar no orçamento, e então gastamos as demais horas explorando um pouco a cidade de Goreme. Há também um museu a céu aberto com algumas construções interessantes utilizando o relevo da região. O ingresso custa 6 euros (mas também não visitamos).

Nesse primeiro dia nossas caminhadas se resumiram a algumas voltas na parte central, passando sobretudo por lojas, que possuem preços bons, porém maiores do que os praticados no Grand Bazaar, em Istambul. A cidade em si é muito bem cuidada, e bastante arborizada. As construções são todas meio beges/marrons, até porque muitas delas foram construídas utilizando cavernas já existentes (muitos hotéis são dentro de cavernas).

DSC01928 DSC01929 DSC01937 DSC01943 DSC01946 DSC01950 DSC01951 DSC01955 DSC01958 DSC01960 DSC01961 DSC01963 DSC01967

Um detalhe interessante é que todos os hotéis e pousadas da cidade são mapeados por placas e por mapas espalhados nas ruas. Eles são divididos por cores que indicam a região em que está localizado cada um dos estabelecimentos e facilitam muito para você não se perder (mesmo sendo uma cidade com poucas ruas):

DSC01917 DSC02015

DSC02115

Durante a noite a cidade fica ainda mais bonita, sobretudo por conta da iluminação que contrasta com as cavernas:

DSC02019 DSC02032 DSC02035 DSC02037 DSC02040 DSC02045 DSC02046 DSC02048 DSC02050 DSC02051 DSC02053 DSC02054 DSC02060 DSC02061 DSC02064 DSC02069 DSC02073 DSC02079

Nossa janta do primeiro dia foi numa espécie de lanchonete que ficava do outro lado da rua do One Way Restaurant, onde comemos um combo de hambúrguer + fritas + refrigerante por 15 liras turcas (R$22), além de um pão com meatballs por 9 liras (R$13). De sobremesa o chocolate branco saiu por 7 liras (R$10).

DSC02022 DSC02023 DSC02024 DSC02028 DSC02029 DSC02030

No dia seguinte, com o tempo um pouco mais nublado, aproveitamos o café da manhã do hotel e então partimos numa caminhada de cerca de 50 minutos (leve água!!) até o Love Valley (ou Vale do Amor). O trajeto é por uma rodovia e existem alguns sinais “não-oficiais” que farão com que você não se perca e não erre a entrada por onde deverá ir:

DSC02136 DSC02137

Love Valley tem esse nome por conter formações rochosas no mínimo curiosas. Você não paga nada para entrar lá, e nas fotos abaixo você pode tirar suas próprias conclusões do porque do nome do local:

DSC02141 DSC02144 DSC02145 DSC02147 DSC02152 DSC02158 DSC02161 DSC02163 DSC02165 DSC02171 DSC02177 DSC02183 DSC02207 DSC02208 DSC02214 DSC02218

Já passava do meio-dia quando voltamos para a cidade, e almoçamos novamente um sanduíche grego (sem fotos dessa vez). Ainda antes de chegar na parte central paramos no melhor e mais completo mercado da cidade, que como os demais está mais para um mini mercado:

DSC02227

À tarde, resolvemos caminhar em direção ao museu a céu aberto (a intenção era entrar, mas depois desistimos). No caminho a parte mais interessante são 3 árvores sem folhas que foram preenchidas com vasos de barro, papéis e a última com olhos gregos. No mesmo local você poderá comprar um por 1 euro e pendurar na árvore, não esquecendo é claro de um pedido.

DSC02245 DSC02247 DSC02251 DSC02252

Próximo ao museu há também algumas lojinhas e restaurantes, além de um inesperado passeio de camelo que é oferecido aos turistas:

DSC02234 DSC02237 DSC02239 DSC02240 DSC02241 DSC02262 DSC02266 DSC02274 DSC02278 DSC02279 DSC02280 DSC02285 DSC02295

Para fechar nossa estadia na Capadócia, fomos jantar no pequeno restaurante Anatolia Kitchen, onde o cardápio incluiu panquecas de queijo (9 liras, R$13,50) e uma pizza turca (que está mais para um calzone do que uma pizza e saiu por 12 liras, ou R$18).

DSC02302 DSC02303 DSC02307 DSC02309

Como já comentamos durante o post, incrementamos nosso tempo em Göreme somente por conta do passeio de balão, e vimos que foi uma decisão acertada depois do segundo dia (e que seria nossa única chance) amanhecer nublado. Caso você não vá fazer tours pela região, um dia é mais do que suficiente para andar de balão e conhecer bem a cidade, porém você vai precisar contar com a sorte para que o dia amanheça ensolarado e sem muito vento.

One thought on “Capadócia (Turquia)

  1. Pingback: Pilot Inn Hotel – Göreme (Turquia) | ALFA Dicas de Viagens

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>