Lagos Plitvice – Croácia

Olá pessoal,

Hoje falaremos de um dos passeios mais tradicionais feitos pelos turistas na Croácia: a visita aos Lagos Plitvice, que ficam cerca de 250 quilômetros distantes de Split (nosso ponto de partida), ou 150 quilômetros da capital Zagreb. Para quem prefere não fazer bate volta, há também a opção de ficar hospedado próximo ao parque, em pequenos hotéis/pousadas.

Para chegar nos Lagos saindo de Split você tem duas opções: pegar a autopista ou então ir pelo litoral. Tínhamos optado em ir pelo litoral, mas acabamos errando alguma saída e demos de cara com o pedágio de “entrada” da autopista. Decidimos então continuar por ali, mesmo sem ter muita noção de quanto sairia o pedágio.

DSC03038O pedágio da autopista é bem simples: não há interação com humanos na entrada, você irá parar o carro, pegar o ticket e então continuar sua viagem. A interação com pessoas acontece somente quando você for sair da autopista, e dependendo do local de sua saída e em qual trecho você entrou nela, você pagará um valor tabelado. Andamos cerca de 180 quilômetros nesta rodovia, e o custo do pedágio foi de 80 kunas (R$50).

O limite de velocidade era limitado em 130km/h, e praticamente não havia movimento em todo a extensão que percorremos, o que colaborou bastante para adiantar a nossa viagem (o limite na rodovia do litoral é de 70km/h, chegando a 50 em alguns trechos) e tornando a viagem muito tranquila, pois saímos da autopista apenas 40 quilômetros antes da entrada do Parque. Definitivamente nossa “falha” acabou sendo positiva para o nosso dia.

Em alguns trechos do percurso o carro balança com as fortes rajadas de vento. Inclusive em alguns pontos há barreiras artificiais para evitar com que o vento atinja os veículos.

DSC03059

Todo o trajeto é belíssimo, sobretudo num dia de céu azul como o que pegamos. Destaque também para a quantidade de energia eólica no caminho:

DSC03039 DSC03041 DSC03043 DSC03045 DSC03050 DSC03052

DSC03060 DSC03069 DSC03070 DSC03072 DSC03074 DSC03075 DSC03077

Percorremos o trecho entre Split e a entrada do Parque em pouco mais de 2 horas, muito por conta dos quilômetros dispensados na autopista. O Parque possui duas entradas, mas em baixa temporada apenas uma está operacional: estacionamos o carro no grande estacionamento disponível e partimos para a entrada:

DSC03080 DSC03084 DSC03082 DSC03083 DSC03088 DSC03089 DSC03090 DSC03092

O preço de entrada para o parque varia bastante de acordo com a época do ano. Maiores informações podem ser encontradas no próprio site oficial, mas como fomos em baixa temporada acabamos pagando pelo ticket de entrada o valor de 55 kunas (R$32), um preço mais de 70% inferior ao da alta temporada (quando o ticket sai por mais de R$100). Como era baixa temporada também não pagamos o estacionamento, que custa um pouco mais de R$4 a hora.

Há também tarifas diferenciadas para grupos de estudantes ou mesmo grupos de turistas, porém o desconto individual para estudante não passa de 20% do valor cheio. Para quem gosta de um tour guiado, há também a opção (embora não seja nem um pouco necessário), porém o preço é relativamente salgado (mais de R$500 por 4 horas de guia).

Para chegar ao parque não necessariamente você precisa alugar um carro: há ônibus que saem de Zagreb, Zadar e Split diariamente, mas com certeza a melhor opção ainda é o carro.

Falando um pouco mais sobre o Plitvicka Jezera (nome da atração na língua local), ele foi fundado em 1949 e desde 1979 é considerado pela Unesco um Patrimônio Natural da Humanidade. Durante a Guerra da década de 90 o parque permaneceu fechado, mas de certa forma acabou sendo favorável pois a fauna e flora local estavam um pouco prejudicadas pelas desenfreadas visitas de turistas sem um plano ecológico para o local. Já hoje em dia o parque é referência mundial em preservação.

Sâo 16 lagos que compõem o parque, cercados de muito verde e de inúmeras cachoeiras. O que mais impressiona no local é a combinação de cores da água, que variam entre o azul e o verde. A fauna e flora local são riquíssimas: para se ter uma idéia já foram catalogadas por lá mais de 1.200 plantas, 55 orquídeas, 160 espécies de pássaros e 320 espécies de borboleta.

Logo na entrada você irá se deparar com um mapa do local, bem como as trilhas que poderão ser escolhidas, que variam entre 2 a 8 horas de duração:

OLYMPUS DIGITAL CAMERA DSC03096

Como é possível notar no mapa acima, há alguns pontos com a letra P na frente (P1, P2 e P3) e outros com as letras St (St1, St2, etc). Os pontos com a letra P são lugares que são ligados por um barco elétrico e disponíveis para os visitantes. Já os pontos com St são os locais onde você poderá pegar uma espécie de ônibus/trem (também elétrico), e que ajuda em economizar em algumas caminhadas.

DSC03284 DSC03353

Barco e trem

O parque é dividido entre os lagos inferiores e os lagos superiores, porém os lagos superiores ficam fechados em algumas épocas do ano, sobretudo no inverno (foi o nosso caso). Portanto ficamos apenas na parte dos lagos inferiores, que segundo alguns blogs é mesmo a parte mais bonita. É óbvio que tiramos inúmeras fotos por lá, e apesar da beleza não chegar às fotos photoshopeadas do Google, com certeza é um lugar muito lindo.

DSC03098 DSC03099 DSC03100 DSC03102 DSC03106 DSC03107 DSC03109 DSC03112 DSC03118 DSC03120 DSC03122 DSC03126 DSC03130 DSC03137 DSC03143 DSC03146 DSC03151 DSC03158 DSC03160 DSC03162 DSC03165 DSC03169 DSC03174 DSC03175 DSC03182 DSC03187 DSC03193 DSC03197 DSC03204 DSC03205 DSC03211 DSC03218 DSC03235 DSC03248 DSC03249 DSC03254 DSC03272 DSC03275 DSC03276 DSC03282 DSC03298 DSC03302 DSC03303 DSC03305 DSC03315 DSC03318 DSC03321 DSC03324 DSC03326 DSC03329 DSC03342 DSC03343 DSC03344 DSC03350 DSC03351 DSC03369 DSC03372 DSC03376 DSC03378 DSC03382 DSC03383 DSC03393

Em alguns pontos do passeio você passará por lanchonetes/restaurantes que oferecem sobretudo lanches rápidos, além de bebidas como café, cappuccino e refrigerante. Há inúmeras mesas no local para você sentar, descansar um pouco e recarregar as energias, mas os preços não são muito convidativos e as comidas em sua grande maioria acabam sendo lanches que você poderá preparar em seu hotel antes de ir ao local. Abaixo o cardápio de comidas e bebidas de lá, lembrando que na época que fomos 1 kuna valia cerca de R$0,60.

DSC03262 DSC03261

DSC03258 DSC03259 DSC03260

Ficamos cerca de quatro horas no parque, e uma outra informação muito importante é que invariavelmente fará muito frio lá dentro, mesmo com temperaturas mais altas, pois o parque é cercado de muito verde e acaba não recebendo tantos raios solares durante o dia. No dia que fomos pegamos a temperatura muito próximo do 0ºC, então imaginem como estávamos bem preparados para encarar esse frio.

Definitivamente se você for para a Croácia e não visitar os Lagos Plitvice é o mesmo que ir ao Rio de Janeiro e não visitar o Cristo Redentor. Além de ser um passeio agradabilíssimo, você não vai se arrepender da beleza única do local! Na volta ainda fomos presenteados com um belíssimo pôr do sol no meio da estrada, para fechar com chave de ouro este incrível dia!

DSC03396 DSC03397 DSC03398 DSC03401 DSC03408 DSC03411 DSC03414 DSC03418 DSC03420 DSC03422 DSC03424

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>