Orlando (EUA) – 84 horas na cidade dos parques

Olá pessoal,

Estivemos durante a semana do Carnaval em terras americanas pela primeira vez, e devido à curta duração de nossa viagem, tivemos que programá-la muito bem para aproveitá-la ao máximo. Nesse primeiro post iremos falar mais sobre nossos três dias e meio na cidade de Orlando, cidade que só no Trip Advisor tem 357 atividades recomendadas (ou não) pelos usuários, o que dá uma idéia da quantidade de atividades que se tem para fazer por lá.

Como teríamos apenas três dias cheios na cidade, reservamos dois dias cheios para os principais parques: Magic Kingdom Universal (combinado com o Island of Adventures). O tempo que restou foi preenchido com alguns passeios, que serão detalhados a seguir.

PRIMEIRO DIA (SÁBADO A NOITE)

Como comentado no início do post, chegamos à Orlando somente no sábado a noite, pois nosso voo pousou em Miami, onde almoçamos e só então pegamos o carro para seguir viagem. A viagem de carro entre as duas localidades é monótona, pois é praticamente baseada em retas, e um carro com piloto automático é uma mão na roda. A dica é ir pela Turnpike Road, pois o caminho pelo litoral acaba sendo um pouco mais demorado e tem mais curvas.

Já passava das 19h quando chegamos próximo à área urbana de Orlando, e uns 30 minutos depois chegamos ao nosso hotel que estava localizado na International Drive, uma das principais vias da cidade. Essa rua é dominada por restaurantes, museus, lojas, shoppings e outras atividades, inclusive durante a madrugada. Aqui Orlando não dorme.

Como estávamos cansados da viagem de avião e de carro, não programamos nenhuma atividade muito cansativa para este primeiro dia. Inaugurado recentemente, o pequeno complexo I-Drive 360 foi nossa escolha para a noite, pois uma das atrações do local é a roda gigante, sendo que é necessário agendar um horário para visitá-la (quando você compra o ingresso online), e havíamos marcado o horário das 22h.

Falando um pouco mais sobre os ingressos, na compra online você pode economizar até 20% no valor final caso compre o pacote das três atrações do complexo, que além da roda gigante é composto pelo mundialmente famoso museu de cera Madame Tussauds e o Sea Life, local com inúmeros aquários onde alguns deles te permitem uma visão 360º dos animais.

As três atrações online, caso o horário agendado da roda gigante seja durante o dia, custam US$39 + 6,5% de impostos (comprando na hora o combo sai por US$51). Para a noite, há um acréscimo de US$3 no valor final. O ponto negativo de comprar antecipado é a impossibilidade de saber a previsão do tempo para o dia, e foi justamente o nosso azar, pois no horário agendado chovia em Orlando. Para o museu de cera e o aquário, não é necessário agendamento, seu ticket vale por 30 dias.

Como chegamos antes das 22h no local, aproveitamos o tempo para visitar uma das atrações antes de ir para a roda gigante e fomos para o museu de cera Madame Tussauds. O museu é composto praticamente 100% por celebridades americanas, e além dos cenários muito bem montados, é impressionante a semelhança das estátuas com a realidade. Os funcionários do local aparecem muitas vezes e se disponibilizam para tirar fotos, mesmo que você não peça. Ficamos no museu cerca de 45 minutos, tempo suficiente para tirar inúmeras fotos como vocês poderão conferir a seguir.

DSC04581 DSC04583 DSC04584 DSC04590 DSC04592 DSC04595 DSC04607 DSC04620 DSC04626 DSC04630 DSC04635 DSC04637 DSC04638 DSC04653 DSC04654 DSC04661 DSC04663

Próximo das 22h, o horário agendado da nossa compra, nos encaminhamos para a roda gigante de 120 metros de altura (conhecida por Orlando Eye), e rapidamente fomos encaminhados para um cinema 4D da atração, que dura cerca de 10 minutos e mostra praticamente toda a cidade de Orlando com seus pontos turísticos.

As “cápsulas” da roda gigante são grandes e comportam mais de 10 pessoas, mas como praticamente não haviam pessoas no horário, os funcionários acomodaram quem estava junto individualmente em cada cápsula. A experiência pode incluir bebidas à bordo, inclusive champanhe, mas os preços salgados acabam afugentando turistas “comuns” da aquisição. A volta completa dura de 20 a 30 minutos, pois a velocidade é bem baixa, o que contribui para que a cápsula quase não se mexa, tornando o passeio muito agradável até para os mais assustados com altura.

Como falamos anteriormente, demos o azar de pegar a atração com o tempo chuvoso, portanto as fotos não ficaram muito boas lá do alto, mas com certeza seria muito diferente com o tempo bom. De todo modo, a olho nu a visão é muito melhor do que o que ficou registrado nas fotos, e o passeio vale a pena. Dentro da cápsula há um banquinho, então caso fique cansado de ficar em pé basta ocupá-lo e aguardar o passeio terminar.

DSC04667 DSC04669 DSC04671 DSC04675 DSC04680 DSC04682 DSC04683

Fechamos a noite com algumas fotos da roda gigante do lado de fora, num gramado que fica localizado em sua frente e é cenário ideal para fotografias. Há ainda chafarizes que tornam o registro ainda mais bonito:

DSC04691DSC04694DSC04697DSC04698

SEGUNDO DIA (DOMINGO)

A única atividade com hora marcada do nosso segundo dia em Orlando era o jogo da NBA entre o time da casa Magic e o Atlanta Hawks, marcado para as 13h no Amway Center, localizado bem no centro comercial da cidade. Como tínhamos praticamente toda a manhã livre, tomamos café no hotel e saímos próximo das 09h em direção à cidade de Celebration, uma cidade originalmente projetada pela Walt Disney. A viagem é rápida e não levou mais do que 20 minutos para percorremos os quase 20 quilômetros entre nosso hotel e o local.

Conhecida por ser reduto de alguns brasileiros famosos, como Silvio Santos (que tem uma casa por lá e a usa para viver algumas semanas por ano como um desconhecido), Celebration originalmente foi concebida para ser um modelo de comunidade. Como estávamos com carro alugado, nosso passeio por lá não durou uma hora, mas com certeza estacionar o carro por lá e andar todo o território a pé observando as mansões sem muros deve ser uma atividade bastante prazerosa.

DSC04711 DSC04713 DSC04716 DSC04718 DSC04719 DSC04724 DSC04728 DSC04729 DSC04735 DSC04742 DSC04745 DSC04747 DSC04748

Outro passeio bastante interessante e diferente em Orlando é ir até o Parque Thornton, que podemos considerar como sendo uma espécie de Central Park de Orlando. O protagonista do parque é o Lago Eola, que fica em seu centro e é cercado por calçadas ideais para uma caminhada. Como era domingo ainda havia uma espécie de feira com produtos do artesanato local, bem como diversas barraquinhas de comidas.

Os locais aproveitam o parque para passear com seus cachorros, e não se assuste ao esbarrar com esquilos, animais que estão em todo local que tem algum alguma área arborizadas. Achamos interessante também que no próprio parque há sacos plásticos para que os donos ajuntem os “pertences” de seus animais de estimação. Há também um palco utilizado para shows e outros eventos locais.

DSC04750 DSC04755 DSC04757 DSC04758 DSC04762 DSC04769 DSC04770 DSC04774 DSC04777 DSC04778 DSC04783 DSC04788 DSC04789 DSC04794 DSC04795 DSC04796 DSC04798 DSC04804 DSC04808

Como já era próximo do meio-dia, aproveitamos para almoçar por lá mesmo, e um sanduíche de carne com queijo cheddar acompanhado de fritas e uma lata de Coca saiu por US$9. Ah, já íamos esquecendo de comentar, mas assim como em todos os pontos próximos a pontos turísticos, você terá que pagar para estacionar o seu veículo e terá geralmente duas opções: os parquímetros nas ruas ou estacionamentos privativos. O que ficava próximo ao parque cobrava US$3 pela hora.

DSC04809 DSC04812

Logo após o meio-dia retiramos o carro do estacionamento para chegar mais próximo ao ginásio do Orlando Magic. Os arredores possuem algumas partes históricas, como a Church Street, onde reside uma estação de trem histórica, datada de antes de 1900. Deixamos novamente o carro num estacionamento, que cobrava US$10 pelo tempo do jogo, metade do valor cobrado do estacionamento ao lado do ginásio. A caminhada até o ginásio não durou mais do que 10 minutos.

DSC04814 DSC04816 DSC04842 DSC04843 DSC04844 DSC04845 DSC04847 DSC04848 DSC04849 DSC04852 DSC04853

Chegando ao ginásio, você passará por uma revista de metais e logo estará dentro dele. Não perdemos mais do que 5 minutos para passar pela entrada e encontrar a nossa cadeira. Compramos o ingresso pelo Ticket Master, por US$25 a cadeira, já com impostos incluídos. Dois dias depois haveria um jogo do Miami Heat e o ingresso mais barato estava saindo por quase US$70.

A experiência do jogo é fantástica, principalmente para quem curte basquete. Mas mesmo para quem não goste tanto acaba sendo um evento único, pois de fato o americano sabe como fazer um jogo virar literalmente um show. Para fechar com chave de ouro, o Magic ainda ganhou o jogo com uma cesta no último segundo, como vocês podem conferir no vídeo abaixo.

DSC04818 DSC04819 DSC04821 DSC04823 DSC04827 DSC04830 DSC04832 DSC04836

Voltamos para próximo do hotel quando já era quase 17h, e como ainda tínhamos direito à entrada do Sea Life, nos dirigimos novamente para a área do I-Drive 360 para visitá-lo. Assim como no Madame Tussauds, gastamos cerca de 45 minutos lá dentro, admirando os inúmeros peixes de todos as cores e tamanhos. Com certeza a melhor parte do passeio está na parte dos tubarões, onde você tem acesso a um aquário 360º e praticamente “encosta” nos animais.

Há também uma parte onde você poderá, com o auxílio de um funcionário, tocar e sentir alguns outros animais, como estrelas do mar e anêmonas.

DSC04876 DSC04878 DSC04886 DSC04888 DSC04889 DSC04890 DSC04899 DSC04901 DSC04904 DSC04907 DSC04911

Fechamos o dia indo ao Pointe Orlando, uma espécie de mini-shopping com algumas lojas, local recomendado por alguns blogs por ter a loja da Tommy Hilfiger com os melhores preços da Flórida, até mesmo inferiores aos praticados no Sawgrass de Miami. O que fica lá por perto também é o Wonderworks, o prédio de cabeça pra baixo de Orlando, que funciona como uma espécie de museu. Acabamos tirando apenas algumas fotos externas do local.

DSC04856 DSC04869 DSC04871

Falando um pouco mais do shopping, de fato a loja da Tommy tem promoções excelentes, no entanto muitas peças tem somente tamanhos extremos, como PP e 4G, por exemplo. Mesmo assim foi possível encontrar algumas peças de nossos tamanhos com ótimos preços:

  • moletom masculino/feminino US$10
  • camiseta jeans feminina/masculina US$10
  • pólo masculina US$15
  • camisa social masculina US$25

Outra loja que vale a pena a visita por lá é a loja da Holister, que possui também diversas peças em promoções com preços muito baixos! Um detalhe importante é que o estacionamento lá é pago e não há guichês com funcionários, apenas uma máquina onde você poderá pagar SOMENTE com cartão de crédito.

TERCEIRO DIA (SEGUNDA)

Com certeza o dia mais cansativo em Orlando, escolhemos a segunda-feira para visitar o Magic Kingdom, o parque da Disney onde tudo começou. O parque fica aberto das 8 até a meia-noite, e embora você ache que 16 horas sejam tempo demais, dependendo de como estiver o parque com relação à lotação, estas horas podem não ser suficientes.

Não vamos aqui falar muito dos parques, pois tem um blog em português (Vai pra Disney) que é atualizado quase que instantaneamente com as novidades de lá e é a referência número um para quem quer programar uma visita a Orlando, sobretudo aos inúmeros parques existentes lá.

No blog citado, eles separam as atrações dos parques basicamente em três categorias: imperdíveis, se sobrar tempo e não vale a pena. Seguimos as dicas à risca e não nos arrependemos, portanto recomendamos 100% o blog para você fazer sua programação do dia.

O que também é falado por lá é que muita gente que já está cansada de passar o dia inteiro andando acaba não comparecendo ao show de projeções e fogos que acontece todo dia às 22h no Castelo da Cinderela, logo na entrada do parque. Definitivamente não faça isso! Esse é o ponto alto do dia e com certeza você não vai se arrepender, até as dores nas costas somem enquanto você presencia esse espetáculo! Gravamos tanto as projeções quanto o show de fogos e você pode conferir nos dois vídeos abaixo:

Outra parte muito legal da Disney é a parte em que você interage com os personagens, pois não há nenhuma pressa para que a interação seja rápida e a fila ande. A experiência já é diferente no começo, pois o próprio personagem vem te pegar na fila, e não é o funcionário que te “empurra” para ir lá. Com certeza uma experiência especial, principalmente para as crianças.

Outra dica muito importante é se informar sobre o FastPass, que também está bem detalhado neste post do Vai pra Disney. Para finalizar fiquem com algumas fotos de lá:

DSC04915 DSC04924 DSC04934 DSC04951 DSC04954 DSC04961 DSC04971 DSC04979 DSC05004 DSC05044 DSC05048

QUARTO DIA (TERÇA)

Nosso quarto e último dia em Orlando foi também dedicado aos parques: visitamos o Universal Studios e o The Island of Adventures no mesmo dia. Novamente recomendamos o blog Vai pra Disney, que tem um post explicando detalhadamente cada atração e quais vale a pena ir ou não. Um ponto importante para citar é que o horário dos parques da Universal é muito mais reduzido, pois eles fecham às 19h.

Podemos dizer também que os parques da Universal são bem mais radicais que os da Disney. Em várias atrações da Universal você precisa deixar seus pertences em lockers gratuitos, e isso não acontece em nenhuma atração da Disney, só por esse fato já dá para ter uma noção. Assim como na Disney, você pode encontrar diversos personagens espalhados pelo parque para conversar e tirar fotos.

Com certeza o ponto alto dos dois parques é a parte dedicada dos filmes do Harry Potter, uma perfeição em cada detalhe. E a atração mais disputada e mais bem vista é a Harry Potter and the Escape from Gringotts, uma mistura entre montanha russa e simulação 3D que certamente irá você se lembrar pelo resto de suas vidas. Não perca também a chance de experimentar a butter-beer (US$6 o copo), famosa cerveja dos livros do bruxo. 

DSC05062 DSC05065 DSC05068 DSC05072 DSC05078 DSC05079 DSC05084 DSC05097 DSC05098 DSC05100 DSC05106 DSC05113 DSC05116 DSC05120 DSC05124 DSC05125 DSC05127 DSC05134 DSC05137 DSC05142 DSC05143 DSC05167 DSC05172 DSC05179 DSC05188

Indubitavelmente este nosso roteiro de três dias e meio em Orlando ficou um pouco cansativo, mas diríamos que foram 84 horas muito bem aproveitadas e não voltaríamos atrás em nossas escolhas. Quem tem mais tempo na cidade com certeza pode dividir melhor seu dia a dia, até porquê os ingressos para os parques ficam mais baratos de acordo com a quantidade de dias que você for visitá-los.

Como falamos lá no início desse post, Orlando é uma cidade fantástica com inúmeras atrações, e em um mês completo você ainda não teria visitado tudo que tem por lá. Esperamos ter ajudado com esse longo post a todos que vão passar um curto período por lá, assim como foi nosso caso. Ainda faremos uma avaliação de nosso hotel por lá e então prosseguiremos com os posts de Miami e arredores. Até lá!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>