Buenos Aires (Argentina) – 72 horas na capital argentina

Olá pessoal,

Depois da enxurrada de posts do Chile, hoje falaremos sobre os três dias que passamos na capital argentina, Buenos Aires, que foi o final da parte internacional de nossa viagem do ano passado. Nossa chegada em Buenos Aires aconteceu pela manhã, próximo das 10 da manhã, mas chegamos no nosso hotel somente próximo do meio dia. Iremos separar o post detalhando cada um dos dias que passamos por lá.

PRIMEIRO DIA

Deixamos as malas no hotel e então saímos para almoçar perto do hotel. Paramos numa espécie de lanchonete e pedimos uma pizza de mussarela. Como não tínhamos trocado nossos reais por pesos argentinos, iniciamos a busca por uma casa de câmbio por ali. Mas para nosso azar na segunda-feira que chegamos era dia do bancário, e por este motivo todas (ou a maioria delas) casas de câmbio não estavam funcionando. Nas ruas o que mais se ouvia era “câmbio, câmbio, euro, dólar, real”, uma clandestinidade quase que oficial nas ruas de Buenos Aires. Até perguntamos para um policial se era seguro trocar dinheiro com estes cambistas de rua, e ele nos recomendou não arriscar, pois existe uma boa chance de ficarmos com notas falsas na mão.

Depois de muito procurar finalmente encontramos uma casa de câmbio aberta na famosa Calle Florida, onde trocamos nossos reais na cotação R$1 = 5,1 pesos argentinos. Após esta pequena aventura e ainda cansados da viagem de Santiago a Buenos Aires pela manhã, resolvemos voltar para o hotel e tirar um cochilo.

Perto das 18h saímos do hotel novamente para uma breve caminhada, culminando num dos pontos turísticos mais famosos da capital argentina: a Casa Rosada.

DSC00818 DSC00820 DSC00822 DSC00823 DSC00824 DSC00825 DSC00827 DSC00829 DSC00838 DSC00840 DSC00844 DSC00845 DSC00849 DSC00852

SEGUNDO DIA

Com dois dias inteiros pela frente para explorar Buenos Aires, optamos por comprar o ticket de 48 horas do Buenos Aires Bus (850 pesos argentinos por pessoa, cerca de R$170), que nada mais é do que um ônibus panorâmico que faz diversas paradas na cidade, e que funciona no sistema hop-on/hop-off, ou seja, você pode subir e descer quantas vezes quiser durante o dia. A promessa é de que a cada 20 minutos um ônibus passa pelas paradas, e todas as vezes que fomos para um dos pontos, a espera não passou em nenhum momento do tempo prometido, ou seja, realmente funciona.

O ônibus possui duas linhas: a azul/vermelha e a verde. O horário de funcionamento é das 09 da manhã até as 21 horas. E não se preocupe: elas passam por todos os principais pontos turísticos da capital, como vocês podem ver nas duas figuras que detalham as paradas dos ônibus:

buenos aires bus buenos aires bus 2

Com o Bernardo a tira-colo e já passando das 11h da manhã, embarcamos no ônibus e aproveitamos a parte panorâmica para tirar algumas fotos da capital argentina:

DSC00855 DSC00856 DSC00858 DSC00861 DSC00862 DSC00864 DSC00865 DSC00868 DSC00869 DSC00873 DSC00878 DSC00880 DSC00885 DSC00888 DSC00890

Nossa primeira parada foi no ponto 03-Paseo de la Historieta. Bem próximo à parada encontra-se o Convento de Santo Domingo, uma bonita igreja católica do século XVIII.

DSC00891 DSC00892 DSC00893 DSC00896 DSC00897

Próximo dali se encontra também a estátua da mundialmente famosa Mafalda. O Bernardo fez a festa com os pequenos companheiros:

DSC00904 DSC00908

Demos um tempo num Starbucks localizado na frente da Praça Dorrego e então nos encaminhamos para o ponto de ônibus para a próxima parada: La Bombonera. O ônibus para exatamente na frente do estádio do Boca Juniors, e lá optamos por fazer o tour pelo estádio a um custo de 240 pesos (próximo dos R$50 por pessoa).

tour pelo estádio dura cerca de uma hora e atravessa todo o estádio. A guia vai contando alguns detalhes da história do clube, explica também cada setor do estádio e interage um pouco com os turistas, perguntando principalmente sobre questões futebolísticas.

tour também possibilita a visita ao museu do estádio, onde estão os troféus do Boca Juniors, além de vários monitores que contam um pouco mais da história dos títulos do clube.

DSC00923 DSC00926 DSC00927 DSC00929 DSC00931 DSC00932 DSC00934 DSC00935 DSC00937 DSC00947 DSC00949 DSC00954 DSC00955 DSC00964 DSC00967 DSC00969 DSC00981 DSC00984 DSC00989 DSC00990 DSC00994

Aproveitamos a fome batendo e almoçamos por ali mesmo: um hambúrguer acompanhado de fritas e coca saiu por salgados 220 pesos (algo em torno de R$40).

Bem próximo ao estádio fica talvez o ponto turístico mais famoso de Buenos Aires: El Caminito. O conglomerado de lojas de lembrancinhas e restaurantes não é muito comprido, mas certamente você perderá um tempo por lá, admirando principalmente as estátuas com algumas personalidades argentinas.

DSC00995 DSC00996 DSC00997 DSC00998 DSC00999 DSC01002 DSC01005 DSC01007 DSC01009 DSC01011

Como já era próximo das 18h e estava começando a chover, pegamos o ônibus na parada ao lado do Caminito e voltamos para o hotel.

TERCEIRO DIA

Saímos do hotel um pouco mais cedo e então iniciamos nosso dia parando em Puerto Madero, o remodelado canto da capital Buenos Aires. Aproveitamos o bom tempo para tirar belas fotos dos modernos prédios localizados por ali, além da famosa Puente de la Mujer:

DSC01034 DSC01035 DSC01037 DSC01039 DSC01041 DSC01042 DSC01043 DSC01048 DSC01049 DSC01056 DSC01059 DSC01061 DSC01064 DSC01069 DSC01079

Nossa segunda parada do dia foi em outro ponto turístico muito famoso de Buenos Aires, a Floralís Genérica, situada na Plaza de las Naciones Unidas, entre a Avenida Figueroa Alcorta e Austria, no bairro Recoleta, da cidade de Buenos Aires, presenteada à cidade pelo arquiteto argentino Eduardo Catalano. A estrutura tem 23 metros de altura e 16 metros de diâmetro com as pétalas fechadas. Com as pétalas abertas esse diâmetro dobra de tamanho, para 32 metros, porém isto somente acontece em algumas datas do ano (25 de maio, 21 de setembro e 24 e 31 de dezembro).

DSC01086 DSC01091 DSC01092 DSC01093 DSC01095 DSC01097 DSC01099 DSC01103 DSC01105 DSC01109 DSC01110 DSC01112 DSC01118 DSC01119

Nossa terceira parada foi na Galerias Pacífico, uma espécie de conglomerado de lojas que prometiam preços de outlet. Porém não encontramos nada que valesse muito a pena por lá. Para falar bem a verdade achamos a Argentina um país com preços um pouco salgados, até mesmo no supermercado.

O local onde ficamos mais tempo no nosso último dia em Buenos Aires foi no Bosques del Palermo, um enorme parque repleto de flores das mais variadas espécies e espalhadas por todo os lugares. Há também alguns pequenos lagos, além de animais como gansos e patos.

DSC01133 DSC01135 DSC01139 DSC01141 DSC01145 DSC01147 DSC01148 DSC01150 DSC01156 DSC01157 DSC01158 DSC01161 DSC01162 DSC01169 DSC01171 DSC01179 DSC01181 DSC01183

Depois de embarcamos mais uma vez no ônibus, aproveitamos para tirar algumas fotos do famoso Cemitério da Recoleta, onde algumas personalidades argentinas estão sepultadas.

DSC01190 DSC01209 DSC01211 DSC01213 DSC01219 DSC01222 DSC01223

Para fechar nossos passeios na capital argentina, paramos na última parada da linha vermelha do ônibus, no Teatro Colón, que também ficava próximo do talvez principal ponto turístico de Buenos Aires, o Obelisco, que estava com arcos olímpicos em sua frente.

DSC01235 DSC01241 DSC01243 DSC01246 DSC01248 DSC01253 DSC01259

E assim fechamos nossas 72 horas em terras argentinas. Apesar de acharmos a cidade cara, gostamos bastante dela, principalmente dos passeios e do Buenos Aires Bus, uma ótima opção para quem tem pouco tempo na cidade e procura visitar vários pontos turísticos em seguida. É claro que viajar com um bebê acaba limitando um pouco os passeios, mas nada que nos impeça de visitar os principais pontos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>